Textos

  • Data: 5/04/2010
  • Título: Sonhos e desejos
  • Autor(a): Erica Brandt, psicóloga e terapeuta
  • Nestes tempos onde somos constantemente manipulados para atendermos aos interesses dos que estão com algum poder, ser diferente é uma ousadia, uma experiência fantástica!

    Nos diferenciamos ao aprendermos com nossas experiências e ao continuarmos confiando de que algo pode ser feito por um mundo melhor. Sei que ainda há grupos que afirmam ser isso utópico e loucura, mas não me importo porque no final, quando meu tempo nesta Terra findar, só eu saberei o quanto valeu a pena seguir as convicções de meu sábio coração.

    Por enquanto, independente do que os meios de comunicação divulgam, espero que a cada dia mais notícias confirmem de que o tempo da fragmentação expirou; que muitos seguem o caminho da realização interior vivendo a prática da simplicidade voluntária e que a humanidade está cada vez mais consciente de que nossos atos e os dos outros repercutem no equilíbrio pessoal, grupal e planetário.

    Que Deus nos auxilie a nos tornarmos cada vez mais conscientes de que tudo está interligado e que, dependendo do nosso movimento, podemos criar marolas acariciantes ou tsunamis. Quando olho para os espelhos dágua lembro o quanto a natureza tem buscado nos passar esse ensinamento por várias formas, uma das quais pela intensidade ou suavidade das ondas resultantes diante do nível de peso de cada pedra lançada em águas tranquilas.

    Creio que muitos já estão se somando à nós assumindo a responsabilidade pela criação de nossas ondas de alegria, de saúde, de abundância e de prosperidade através de falas e atitudes construtivas. É imprescindível para o planeta e para a humanidade que cada um se torne consciente que tudo é questão da escolha e da decisão pessoal que fizermos na expansão de cada dimensão de nosso "ser".

    Precisamos auxiliar às pessoas a recordarem de que quando realizamos o que é o melhor para que a consciência de amor se manifeste em nossa vida, fortalecemos nosso caminho de encontro com o SER e de encontro com o outro. Neste encontro interior e exterior, onde o pensar, agir e sentir estão em unidade com nossos princípios mais elevados, nos permitimos a manifestação da consciência da unidade simbolicamente vivenciada na sabedoria do abraço: encontro do espírito e da alma, da razão e do coração.

    Que cada ano de nossa vida passe a ser vivenciado por encontros e concretizações! Que não ajam mais guerras, nem internas e nem externas e que em vez de armas e drogas que, de mão em mão, sejam distribuídos ramalhetes com todos os tipos de flores, um jardim onde todos estão incluídos, sem preconceitos e facilitadas as oportunidades para que cada qual seja a expressão de sua Verdade: criaturas divinas, merecedoras de todas as riquezas.