Clique aqui se você não consegue visualizar esta newsletter

Celebrando o Natal
Por Erica Brandt


O
mundo inteiro se prepara para comemorar o Natal, a data cristã mais comemorada em todas as nações. No Brasil essa data vem após a primavera, estação em que nos encantamos com o desabrochar das flores, seguida pelo verão em que o sol irradia sua luz por mais horas e os dias são mais longos. É como se natureza se preparasse, nesta época, para o nascimento de Cristo em nosso coração, a vida, a luz e o calor do amor em nosso jardim interior. 

Diante de tantos apelos consumistas é preciso um tempo de silencio para nos reconciliarmos com tudo e com todos que fizeram parte de nossas experiências ao longo do ano, permitindo-nos viver algo muito especial em nosso coração, em nossa alma. Nesse apaziguamento da mente temos a oportunidade de compreender as preciosas riquezas internas que acessamos através dos desafios vividos; percebemos que não somos mais os mesmos, que realmente estamos nascendo em consciência, mais em contato com nossa essência.

Para que o Cristo nasça em cada alma como princípio de luz e amor divino é imprescindível recriarmos a atmosfera sagrada presente na sua origem religiosa. Deus se fez pessoa humana e veio morar em nossa casa, em nossa dimensão física, psíquica e espiritual e isso é para ser celebrado com festa e alegria numa reunião festiva com familiares e amigos.

 Na tradição iniciática, segundo Omraam Mikhaël Aïvanhov, a manjedoura que acolhe o Menino Jesus simboliza o ventre.  É no ventre, nas entranhas, que a consciência crística se perpetua na humanidade, onde se faz nascer em si a nova consciência: o Menino Cristo. Esta região de nosso corpo é a das nossas águas, na mulher é onde são gerados os filhos e na humanidade é onde se gera a nova consciência a partir dos confortos e desconfortos vividos em cada experiência.

O estábulo, com a manjedoura, é o símbolo da pobreza, da dificuldade das condições exteriores. No estábulo havia apenas um boi, símbolo da fertilidade e fecundidade. O burro representa a personalidade humana, o velho homem, teimoso, obstinado, mas bom servidor. Ambos os animais estavam presentes, aquecendo o Menino com seu bafo, significando que quando o iniciado consegue transmutar em si esses animais, sabe que essas forças não existem para atormentar, mas se tornam vivificadoras.

Na estrela de cinco pontas temos a representação da luz que é projetada acima da manjedoura. Uma realidade absoluta que brilha acima dos iniciados, cujo princípio feminino, isto é, a alma e o coração, deram à luz o Menino Jesus concebido pelo Espírito Santo. Essa estrela revela que o pentagrama tem que existir duplamente, o próprio homem é um pentagrama vivo. No plano sutil, quando ele tiver desenvolvido as cinco virtudes: bondade, justiça, amor, sabedoria e verdade, se apresentará um outro pentagrama que o representa sob a forma de luz. Essa estrela que brilha por cima do estábulo significa que de cada iniciado que possui o Cristo vivo sai uma luz que acalma, alimenta, conforta, cura, purifica, vivifica.

Nas duas cores predominantes nos enfeites de Natal, o vermelho e o branco, são representados os dois princípios da base da existência: o vermelho, o sangue, a força vital do princípio feminino e o branco a pureza, a luz do princípio masculino. Para que ocorra o nascimento do Menino Jesus em nosso coração é preciso haver um pai - o intelecto - e uma mãe - o coração - a alma. Quando o coração e a alma estão purificados, a criança nasce; mas ela não nasce do intelecto e do espírito, nasce da Alma universal, que não é senão o Espírito Santo sob a forma de fogo, de amor divino, uma chama pura que vem fecundar a alma e o coração do ser humano.

Na virgindade de Maria, somos convidados a desenvolver uma qualidade mais espiritual do que física, pois a concepção não foi maculada por nenhum desejo, paixão ou sensualidade, mas um corpo que pudesse ser condutor do Espírito Santo, que tivesse uma correspondência entre os planos físico, espiritual e divino possibilitando que tudo fosse luminoso e puro.

A criança divina quando nasce em nossa consciência, traz a paz e a plenitude na alma do homem em que ela nasceu. Ela, junto com Maria e José, formam a sagrada família, símbolos da vida interior em que o intelecto respeita e protege a alma, formando o triângulo sobre o qual se inicia a nova construção. Toda criança ao nascer recebe visitas e presentes e assim foi com o Menino Jesus. Ele recebeu a visita dos três reis magos que lhe presentearam com ouro, incenso e mirra, os quais encerram importantes significados por terem ligação com os domínios do pensamento, do sentimento e do corpo físico. O ouro significava a cor da sabedoria, cujo brilho cintila acima da cabeça dos iniciados. O incenso dizia que Ele era sacerdote, representando a religião, o coração, o amor. A mirra, símbolo da imortalidade.

Por fim, o símbolo do anjo que apareceu aos pastores que ficaram maravilhados com o anúncio do nascimento de Jesus e levaram cordeiros para lhe oferecer. Estes representam  toda a humanidade, em especial os pobres e humildes, que participam deste nascimento crístico ao desenvolverem as riquezas do coração.

Neste dia de Natal celebremos a alegria da união do céu e da terra em nosso coração. Olhemos nos olhos de nossos familiares e amigos, de todos os que estiverem nesta festividade conosco e vamos reverenciar nossa humanidade que renasce mais divina. Vejamos em cada um o Menino Jesus sorrindo com toda a sua jovialidade e transmitindo seu amor para todos nós, amor para ser cuidado e partilhado.

Neste Natal e em todos os dias do Ano Novo

LUZ  - AMOR – VIDA - GRATIDÃO

Renascimento Crístico

Erica Brandt convida para refletir sobre o renascimento no Menino Jesus. Inspirar a paz e expirar a paz leva o homen à dimensão do seu jardim interior.

Acesse a meditação em:
 http://www.ericabrandt.net/news/09/meditacao.mp3

Para as edições anteriores das meditações, utilize o link http://www.ericabrandt.net/espaco_meditacao.php

Botei meu sapatinho...
Uma gracinha de canção. Com uma proposta infatil e alegre, conquista a todos neste período de Natal.
Acesse

Maria Bethânia: Boas Festas (Natal)
Obrigado pela informação relacionada a essa canção tão delicada e linda que o Assis Valente criou com tanta sensibilidade, que interpretada pela Bethânia reflete toda a sua grandeza. Interessante que com o acordeon do João Carlos Coutinho essa canção ganhou também um toque de festa de São João.Muito bom.
waldineysaidel
Acesse

Pedido de Natal
A oração de uma criança realmente emociona, toca o coração, faz repensar sobre oque é belo e importante na vida.
Acesse

Abre o Coração - Peninha - Mensagem de Natal
Linda Mensagem de Natal do Compositor Peninha. A Letra desta música dispensa comentários.
Acesse

A historia do natal digital e as redes sociais
Criatividade e tecnologia: o espírito de natal é o mesmo, em todos os tempos.
Acesse

Feliz Natal e Feliz 2011!
só mesmo um escritor como Carlos drumond de andrade para fazer um poema desses, lindo.
xamegosa
Acesse

Adventos
Power Point interativo. Acenda as quatro velas, uma para cada advento: tempo de sermos vigilantes, de termos esperança, prazer e benção.
Acesse


19/02 e 20/02 - Workshop  - GCC1 - Gerando e Concebendo Consciência. Mais informações: contato@ericabrandt.net


Verão e Ano Novo nos faz conciliar saúde e mente. Físico e psicólógico, juntos, resultam em um estilo de vida com dores e doenças ou saúde e bem-estar, no corpo e na psique.


Especialista em Psicologia Transpessoal pela ALUBRAT (Associação Luso Brasileira Transpessoal), MBA em Abordagem Holística Transdisciplinar pela UNIPAZ/RJ, Membro do CIT - Colégio Internacional dos Terapeutas. Acolhida em 05 de outubro de 2000.

Formação em ”Terapeutas Transformadores” com Dr. Octávio Rivas Solis (México); Terapia Refocalizadora e Terapia de Casal com Dr. Franco Del Casale (Argentina) e artista plástica.

Psicoterapeuta e assessora institucional com mais de trinta anos de atuação. Desenvolve seminários, workshops e retiros focados na expansão da consciência e melhor qualidade de vida. Criadora e focalizadora das Dinâmicas "A Travessia de Avalon" e "A Jornada de Jonas", este apresentado em Évora, Portugal, no VI Congresso Internacional da ALUBRAT em novembro de 2008; dos programas "Você vive na Caverna ou sob o Céu Estrelado", "Espírito Criativo e Poder Pessoal", "Integração Coração e Mente", "Gerando e Concebendo Consciência" e dos retiros "Oceano Interior e as Conchas da Consciência", estes desenvolvidos em Porto Alegre, Torres/RS e Criciúma/SC.

O Celebrante incensa o presépio  (canta-se um cântico de Natal)


Oração do Celebrante

Jesus que foste Menino, menino qual um de nós: dá-nos nesta noite santa uma alma de criança para podermos ser simples, alegres, confiantes e cheios de ternura e carinho para com todas as pessoas e com os seres todos de tua criação.

Isto te pedimos por Ti mesmo que, Filho de Deus, tudo assumiste e consagraste e Te fizeste nosso Irmão agora e para sempre, pelos séculos dos séculos, Amém

 
Leonardo Boff


Imagem: divulgação

Natal – A humanidade e a jovialidade de nosso Deus, Editora Vozes

www.ericabrandt.net

Participe enviando críticas e sugestões de pauta para news@ericabrandt.net
Jornalista responsável: Aline Wolff da Fontoura (MTB/RS 12.406)